Plataforma de E-commerce

Plataforma de E-commerce – O coração da loja virtual

Plataforma de E-commerce - Sistemas de E-commerce

Plataforma de E-commerce – Sistemas de E-commerce

Uma das principais peças de uma loja é a plataforma de e-commerce, sistema responsável pelo gerenciamento – back end, e visualização da loja, o front end. É o sistema que nos possibilita criar a loja virtual e também gerenciá-la, incluindo produtos, gerenciando estoques, preços e estoques, além de outras funções que fazem parte do dia-a-dia de um comércio eletrônico.

Em nosso curso de criação de lojas virtuais dedicamos um módulo inteiro para a discussão deste assunto, uma vez que a escolha da plataforma de e-commerce é um dos passos mais importantes em um projeto de comércio eletrônico. Como o sistema é a base de toda a operação de e-commerce, um desalinhamento dessa plataforma com as necessidades do restante do projeto, pode provocar transtornos sérios e até mesmo o fracasso do projeto.

 

A escolha da plataforma de e-commerce deve ser encarada como um casamento entre o empreendedor e a tecnologia

A importância da escolha de uma boa plataforma de e-commerce

Uma boa plataforma de ecommerce precisa ser completa e além de oferecer as ferramentas básicas para o gerenciamento da loja, deve também incluir ferramentas que possibilitem a integração de outras tarefas também importantes para o sucesso de uma loja virtual como, por exemplo, a área de marketing digital.

Escolher um bom fornecedor de plataforma de e-commerce é um missão árdua já que existem diversas opções no mercado. No check list para escolha de plataforma de e-commerce que disponibilizamos para os participantes do nosso curso, enumeramos uma série deles como:

  • Integração com a versão para e-commerce do Google Analytics;
  • Ferramentas que possibilitem um bom trabalho de SEO;
  • Integração com a principais redes sociais.

A solução de e-commerce atual é muito mais do que simplesmente um sistema de loja virtual, ela deve funcionar como um verdadeiro Hub da atividade do comércio eletrônico e para isso, é essencial que o fornecedor do sistema, seja ele SAAS, Open Source ou uma plataforma exclusiva, agregue todas essas funcionalidades.

A troca da plataforma de e-commerce pode ser traumática

Algumas pessoas acham que podem começar sua loja virtual com qualquer plataforma para depois fazer um upgrade, ledo engano. Quando em nosso trabalho de consultoria em e-commerce investimos muito tempo nessa etapa do projeto, é porque sabemos que um erro nessa parte pode ser fatal. Não existe troca de plataforma de e-commerce sem traumas. Além de questões que envolvem o SEO, existe, por exemplo, uma perda de eficiência no período em que a equipe leva para se acostumas com o novo sistema.

Ao trocar de plataforma de comércio eletrônico, você está, mesmo não querendo, jogando fora toda uma cultura operacional da empresa e isso certamente irá se refletir no desempenho de vendas ou atendimento ao cliente. Saber como escolher uma plataforma de e-commerce lhe coloca fora deste risco.

Agora que você já tem uma ideia de o que é uma plataforma de e-commerce, certamente irá dedicar o tempo que for necessário para essa escolha para que no futuro, não tenha problemas nesse setor do seu e-commerce.

Quanto custa montar uma loja virtual?

Quanto custa montar uma loja virtual?

Quanto custa montar uma loja virtual. Veja quais são os custos para você abrir a sua loja virtual.

Quanto custa montar uma loja virtual?

Se você está interessado em saber quanto custa montar uma loja virtual, posso lhe adiantar que, ao contrário do que muita gente pensa, o investimento é bem menor do que você imagina. Parte do crescimento do e-commerce nos últimos anos no Brasil, se deve ao fato de que o avanço das tecnologias empregadas na criação de lojas virtuais vem destruindo gradativamente as barreiras de entrada no segmento reduzindo custos. Isso tem feito com que cada vez mais, pequenos e médios empresários busquem o comércio eletrônico como alternativa para expansão de seus negócios.

É compreensível a preocupação em descobrir quanto custa montar uma loja virtual, já que como em qualquer outro negócios, os custos são fundamentais não só para a avaliação de viabilidade do projeto quanto para a análise dos riscos envolvidos. No passado, seria impossível pensar em criar uma loja virtual sem um investimento inicial expressivo, principalmente o que diz respeito a softwares e sistemas acessórios. Hoje em dia a realidade do comércio eletrônico brasileiro é bem diferente, e principalmente, animadora.

Quais são os principais custos para a abertura de uma loja virtual

Muitas vezes em nosso curso sobre montagem de lojas virtuais vemos empresários e empreendedores se surpreenderem ao descobrirem que atualmente o investimento para montar uma loja virtual é bem menor do que eles imaginavam. Existem dois pontos distintos a serem analisados:

[checklist icon=”check” iconcolor=”” circle=”yes”]

  • O investimento para criação da loja virtual – Software e sistemas acessórios
  • O investimento para a divulgação da loja virtual – Marketing digital

[/checklist]

Não se pode pensar em montar um e-commerce sem analisar esse dois aspectos, já que um projeto de comércio eletrônico não se limita única e exclusivamente a criação da loja virtual em si, mas também na divulgação do negócio como em qualquer outra área. Não é pelo simples fato de você ter montado a loja virtual que milhares de pessoas aparecerão de uma hora par outra para comprar em sua loja.

Vejamos quanto custa montar uma loja virtual

Para ter uma loja virtual você precisará, antes de tudo, do que chamamos de plataformas de e-commerce, que é o sistema encarregado da criação do site e também da parte administrativa. Antigamente esse era o grande obstáculo para quem queria montar uma loja virtual, mas hoje em dia existem diversas opções. Muita gente me pergunta quanto custa montar uma loja virtual e fica impressionada com a resposta. Você encontra ótimas soluções no mercado a partir de R$ 80,00 ao mês.

Para o pequeno e médio empresário, a melhor opção é o aluguel de uma plataforma de e-commerce pronta. Além de deixar todo o processo bem mais rápido e menos tortuoso, o investimento inicial também cai sensivelmente. O custo varia conforme os recursos oferecidos e atualmente temos diversas opções no mercado. Em nosso curso criamos uma planilha para que você possa avaliar as opções disponíveis e identificar a que melhor se adapta às necessidades do seu negócio.

Uma das grandes vantagens do e-commerce é justamente o fato de você poder começar seu negócio com uma solução de menor custo e, aos poucos, à medida em que o negócio vai crescendo, passar para sistemas mais sofisticados. Na hora de escolher uma plataforma de e-commerce, uma dos fatores a serem levados em consideração é justamente o de escalabilidade, ou seja, possibilidade de expansão do sistema para acompanhar a evolução do negócio.

Custo para divulgação da loja virtual

A segunda parte da resposta para a pergunta quanto custa montar uma loja virtual, nem sempre está bem nítida para os novos empresários; o custo de divulgação de uma loja virtual. Atualmente, o grande diferencial entre lojas virtuais está justamente na divulgação. Como você pode perceber, a criação de uma loja virtual, em termos técnicos, não é nenhum bicho de sete cabeças, mas sem marketing a coisa simplesmente não funciona.

O marketing digital deve ser muito bem planejado em seu projeto e o capital alocado para essa parte do negócio deve girar entre 70% a 80% do valor total do investimento. Isso mesmo, um dos maiores mitos dos negócios online é que o marketing digital é baratinho ou até mesmo gratuito. É claro que a estrutura da loja virtual é importante, mas o marketing digital é que promove as vendas e gera fluxo de caixa. Portanto, é inconcebível pensar em projeto de e-commerce sem uma boa estratégia de marketing digital, como também o seria no mundo físico.

O caminho para uma loja virtual de sucesso para por investimentos em marketing de busca – SEO e links patrocinados, email marketing e redes sociais. Todas estas ações devem estar muito bem articuladas para garantir que você esteja obtendo o máximo do potencial que cada uma dela pode proporcionar. Se ou seus colaboradores não têm domínio das técnicas dessa área, pode optar pelo treinamento e especialização em marketing digital da sua equipe ou então terceirizar esta parte do negócio através de uma agência digital.

Nós não apresentamos muitos números nesta matéria porque o valor vai depender das características do seu negócio, mas já dá para ter uma ideia em termos de grandeza. Eu até mesmo arriscaria dizer que a partir de R$ 5.000 já é possível criar uma loja virtual com uma boa chance de sucesso, mesmo sendo um micro empresário. Em nosso curso também fornecemos uma planilha para apuração detalhada dos custos para que você tenha este valor da forma que deve ser; na ponta do lápis.

Pronto, agora que você já sabe quanto custa montar uma loja virtual, que tal deixar apenas de sonhar e começar a colocar no papel suas ideias? Precisando de ajuda, pode contar com a equipe do Curso de E-commerce e nossos treinamentos para vencer este desafio.

Análise SWOT no e-commerce

,

Análise SWOT no e-commerce como ferramenta de planejamento

Análise SWOT no e-commerce como ferramenta de planejamento

Análise SWOT no E-commerce – Planejamento

A análise SWOT no e-commerce é uma das etapas mais importantes de um projeto de e-commerce, mas muita gente simplesmente ignora essa fase ou atribui a ela um valor bem menor do que deveria. A análise SWOT, sigla para Strengths, Weaknesses, Opportunities e Threats, tem como finalidade fazer uma análise ambiental, sendo a base da gestão e do planejamento estratégico.

Em um ambiente em constante mutação, a análise SWOT no e-commerce nos dá uma visão do que esperar em termos de ambiente negocial. Ela é feita a partir da análise dos seguintes fatores:

  • Pontos fortes do empreendimento – Strenghts
  • Pontos fracos e vulnerabilidades do e-commerce – Weaknesses
  • Oportunidades apresentadas – Opportunities
  • Ameaças que a loja virtual irá enfrentar – Threats

A análise destes fatores na etapa de planejamento de uma operação de e-commerce nos permite ter uma ampla visão do ambiente em que os processos atuais e futuros vão se desenrolar, e com isso, facilitam o posicionamento estratégico adequado. Em nosso curso de e-commerce online, nós disponibilizamos uma planilha exclusiva para esse tipo de análise para facilitar na hora de criação do projeto.

Primeiros passos da análise SWOT no e-commerce

O principal objetivo de uma Análise SWOT é, em um primeiro momento, identificar seus pontos fortes e seus pontos fracos. A segunda etapa consiste em identificar as oportunidades existentes no segmento e finalmente as ameaças ao seu negócio. Embora seja uma ferramenta clássica da etapa de planejamento e obrigatória em qualquer plano de negócio para e-commerce, ela deve ser  feita no mínimo uma vez por ano, em função da dinâmica do segmento dos negócios online.

Análise SWOT no e-commerce – Seus pontos fortes

A primeira etapa da análise SWOT no e-commerce é identificar seus pontos fortes. O que você faz melhor do que os outros concorrentes no seu segmento de atuação?  O que faz sua empresa única? Você oferece produtos de nicho que não estão disponíveis em outros lugares? Esses são alguns pontos que podem colocar seu e-commerce à frente dos outros concorrentes.

Pontos fracos em uma análise SWOT

Nessa etapa da análise SWOT você deve identificar os pontos fracos do seu projeto de e-commerce. Em que quesitos sua loja virtual não consegue superar seus concorrentes diretos? O que eles possuem que você não consegue superar? Uma análise da concorrência bem feita irá deixar claro em que área sua empresa apresenta dificuldades.

No comércio eletrônico isso pode acontecer na parte técnica, como a plataforma de e-commerce, por exemplo, ou também na parte negocial em si, como preços pouco competitivos e até mesmo problemas de logística.

As etapas de determinação de pontos fortes e pontos fracos é o que chamamos de ambiente interno da análise SWOT, ou seja, os fatores sobre os quais você tem controle e pode atuar diretamente.

Oportunidades para sua loja virtual

A segunda fase da análise SWOT no e-commerce é a análise dos fatores externos, ou seja, Oportunidades e Ameaças. Nessa etapa nos concentramos em dois questionamentos básicos:

  • De que forma as novas tecnologias podem ajudar na expansão dos seus negócios e na conquista de vantagens e diferenciais sobre seus concorrentes?
  • Quais são as suas vulnerabilidades e também as dos seus concorrentes?

Sob a luz dessas duas perguntas, podemos então desenvolver toda a análise dos fatores externos, sobre os quais, pelo menos em um primeiro momento, não temos controle.

Análises das oportunidades que surgem a cada dia

O e-commerce é uma das atividades mais dinâmicas do mundo. As novas tecnologias nos abrem oportunidades a cada lançamento. Esses avanços colocam o comércio eletrônico cada vez mais perto do comércio físico, levando para o ambiente online, algumas experiências que somente eram possíveis no mundo físico até bem pouco tempo. Melhorias nas tecnologias que envolvem os carrinhos de compras em lojas virtuais permitiram compras mais rápidas e um maior aproveitamento das oportunidades de compras por impulso, com mecanismos de Cross Selling, por exemplo, maximizando assim a rentabilidade das lojas virtuais.

No âmbito do atendimento no e-commerce, os sistemas de chat e outras tecnologias de comunicação em tempo real, tem possibilitado uma atuação cada vez mais pontual na eliminação de dúvidas e no atendimento pós venda do e-commerce, melhorando assim a experiência do usuário em nossa loja e com isso fidelizando-os.

Os sistemas de web análise têm nos dado informações cada vez mais valiosas para compreendermos o comportamento dos consumidores e visitantes da loja virtual, facilitando assim a tarefa de identificar seus anseios e dificuldades. Com isso, podemos aprimorar processos e rotinas visando a melhoria de desempenho, não só em termos financeiros e tecnológicos, como também em termos de relacionamento.

O grande desafio nessa área e se manter atualizado com o que acontece aqui e lá fora, de forma a viabilizar sua aplicação no menor tempo possível em seu e-commerce. Mas copiar não é a solução, pense em criar uma verdadeira Estratégia do Oceano Azul do E-commerce para criar um diferencial competitivo.

Ameaças que existem ou podem surgir

A velocidade dos negócios online tanto funciona no sentido da criação de oportunidades como também na criação de sérias ameaças que podem, em última instância, determinar até mesmo o encerramento das atividades de uma loja virtual.

No mundo físico, esses exemplos são muito comuns. A Blockbuster, por exemplo, ignorou a ameaça das mídias online e viu seu império ser tragado pelo avanço da tecnologia de aluguel de filmes online, como o oferecido pela Netflix. A indústria fonográfica então, cega pela arrogância e prepotência corporativa cultivada durante seus anos de glória, foi praticamente dizimada até se concientizar que deveria modificar seu modelo de negócio. Sua prima, a indústria do cinema, essa então se viu em um verdadeiro inferno diante da pirataria e dos sistemas P2P que quase a levaram à lona.

No mundo online, as ameaças tecnológicas e até mesmo regulamentares, podem afetar de forma violenta a evolução de um e-commerce. As barreiras de entrada no comércio eletrônico vêm sendo gradativamente eliminadas nos últimos anos através da redução dos custos de sistemas e facilidade de implementação de novas lojas virtuais. Essa é uma ameaça constante com a qual você precisa aprender a conviver.

Portanto, diante de ameaças que não param de surgir a cada momento, a única saída é exercer um monitoramento constante em relação a novas tecnologias e posicionamento estratégico dos seus concorrentes, para desenvolver o hábito de se reinventar a cada momento, mantendo assim seu e-commerce blindado contra essas possíveis ameaças. Atualização tecnológica e pessoal cada vez mais capacitado em marketing digital e outras áreas da operação, são essenciais para se manter vivo nesse mercado.

O mercado online é dinâmico e por isso precisamos estar fazendo uma autoanálise constante para não perder o ritmo. A Análise SWOT no E-commerce não deve se limitar à fase de planejamento do negócio, devendo ser refeita a cada ano para um posicionamento estratégico atualizado.

E-commerce para pequenas empresas

E-commerce para pequenas empresas é uma realidade

E-commerce para pequenas empresas. Como as PMEs podem aproveitar as oportunidades no comércio eletrônico

E-commerce é opção para pequenas empresas

O segmento de e-commerce para pequenas empresas vem crescendo a passos largos nos últimos anos, principalmente em função da derrubada de diversas barreiras de entrada, principalmente nas áreas de TI e marketing digital que tornavam este segmento uma exclusividade das grandes empresas. Atualmente, é possível montar uma loja virtual com baixo investimento e contar com recursos que há pouco tempo atrás estavam disponíveis apenas para grandes empresas.

Antigamente, quando se falava em e-commerce para pequenas empresas, a realidade eram plataformas de e-commerce improvisadas e soluções em marketing digital primitivas, que em termos de retorno efetivo eram simplesmente nulas. Este quadro mudou, e atualmente as PMEs podem disputar de igual para igual um mercado que apresenta uma taxa de crescimento média de 25% nos últimos cinco anos, segundo os relatórios da Webshoppers, e não apresenta qualquer sinal de esgotamento, muito pelo contrário.

O espaço das PMEs no e-commerce brasileiro

O e-commerce para pequenas empresas surge como uma alternativa atraente para empreendedores pressionados pelos elevados valores de locação de imóveis e o caos urbano que tem transformado uma simples saída para compras nos shopping centers e outros centros comerciais em uma verdadeira aventura.

Como o custo de uma loja virtual é bem menor que o de instalação de uma unidade física, as pequenas empresas têm no comércio eletrônico uma opção para expansão de seus negócios, que une baixos custos e oportunidade de conquista de novos mercados. Isso tem feito com que cada vez mais, pequenos e micro empresários vejam no varejo eletrônico uma grande oportunidade de crescimento de seus negócios.

Ecommerce abre novos mercado para as PMEs

Uma das grandes vantagens do e-commerce para pequenas empresas é a expansão do mercado. Ao romper com as barreiras geográficas, o e-commerce, abre para as pequenas empresas um novo mercado, onde elas podem oferecer seus produtos para um público, que muitas vezes não tem acesso físico a eles, mas que pela Internet passa a fazer parte do rol de clientes, a um custo infinitamente menor do que o que representaria o mesmo investimento no mundo físico.

A expansão da banda larga no país é outro fator que estimula o ingresso das pequenas empresas no e-commerce. Na medida em que cada vez mais lares brasileiros têm acesso a Internet através de conexões de banda larga, cresce o universo de consumidores em potencial. Isso cria um mercado praticamente virgem para as pequenas empresas, que por limitações orçamentárias não poderiam ter acesso a esses consumidores se não houvesse a opção do comércio eletrônico.

Tecnologia e capacitação profissional não é mais problema

Como a tecnologia aplicada ao e-commerce não é mais uma barreira de entrada para os pequenos empresários, que hoje dispõem de diversas opções para a criação de uma loja virtual de sucesso, criou-se um novo cenário para o crescimento.

A capacitação profissional também não é mais obstáculo já que é possível capacitar a equipe de colaboradores em qualquer lugar do Brasil, graças à educação a distância, área inclusive, que o Curso de E-commerce foi pioneiro, oferecendo cursos nas áreas de gestão de e-commerce e marketing digital de qualidade e atualizados. Quando criamos nosso curso de e-commerce para pequenas empresas ficamos surpresos com a demanda que superou em muito nossas espectativas, o que mostrou a forma desse mercado.

O importante é ter uma visão realista do mercado

Dizer que criar uma presença comercial na Internet é fácil, é vender ilusões. Em nosso curso de e-commerce dimensionamos o comércio eletrônico para pequenas empresas de forma realista, para que ninguém seja induzido ao erro. O mercado é promissor, mas exige planejamento, investimento e dedicação. A criação de um projeto de comércio eletrônico precisa partir de premissas realistas e não de promessas de um negócio fácil.

Não se trata mais de saber o que vender pela Internet, já que atualmente vende-se de tudo na web, desde carros e apartamentos até ingressos para shows. Trate-se de saber como vender com eficiência, ou seja, como o e-commerce para pequenas empresas pode criar um diferencial em relação aos grandes players do mercado e com isso garantir um Market Share para as PMEs que entram agora.

O momento do mercado é ótimo e o e-commerce para pequenas empresas, representa uma oportunidade para conquista de novos mercados e expansão dos negócios.

Projeto de comércio eletrônico

Projeto de comércio eletrônico precisa ser abrangente

Projeto de comércio eletrônico

Projeto de comércio eletrônico

Elaborar um bom projeto de comércio eletrônico é um dos primeiros passos para quem deseja montar uma loja virtual com chances de sucesso no atual momento do e-commerce brasileiro. A fase do improviso já vai longe e hoje em dia temos um mercado extremamente técnico e profissionalizado onde não há espaços para soluções amadorísticas ou improvisadas. Alguns empreendedores ainda acreditam que basta montar uma loja virtual e cadastrar os produtos e pronto. Esse posicionamento, por não corresponder à realidade do mercado tem levado muita decepção a quem não se estruturou logo na etapa do planejamento.

Como no mundo físico, o projeto de comércio eletrônico funciona como roteiro para a implementação de uma operação de e-commerce. Além de orientar as diversas etapas da empreitada, esse estudo ajuda a ter uma visão realista do ambiente em que a empresa irá trabalhar. Em nosso curso sobre lojas virtuais, dedicamos um módulo inteiro a essa etapa do projeto, justamente para dar ao empreendedor as ferramentas necessárias para atingir seu objetivo.

Elaboração de um projeto de comércio eletrônico

Em termos estratégicos, o projeto de comércio eletrônico é a peça  de planejamento que lista todas as ações necessárias para a implementação e gerenciamento de uma loja virtual e todas as outras atividades que a cercam, tais como marketing digital, logística, atendimento  e outras. O que diferencia o projeto de comércio eletrônico de um plano de negócios para comércio eletrônico é que o projeto é mais informal.

No projeto são analisadas questões como a escolha da plataforma de e-commerce, escolha das formas de pagamento a serem implementadas na loja virtual, capacitação de pessoal e planejamento de marketing digital. Basicamente é um levantamento das necessidades e recursos que se farão necessários para a empreitada.

Com um projeto de e-commerce bem detalhado temos não somente um norte para orientar o projeto como também a possibilidade de minimizar custos ao mesmo tempo que maximizamos o retorno dos recursos empregados através de uma ações integradas e complementares que possibilitem a criação de uma sinergia entre elas.

Prospecção de mercado

Em primeiro lugar é necessário fazer a famosa análise da concorrência e verificar se o projeto que você pretende elaborar já não existe ou então se o seu projeto de comércio eletrônico realmente teria espaço no mercado já estabelecido. Não queremos dizer com isso que o mercado encontra-se saturado, mas é importante que você apresente seu negócio com uma proposta inovadora, para não cair no lugar comum das milhares de lojas virtuais já em operação no Brasil. É a proposta que fizemos em um artigo anterior, sobre a criação de uma estratégia do oceano azul para e-commerce, um diferencial para a loja.

Outro aspecto a ser analisado em seu projeto de e-commerce é a formatação do negócio e público que ele pretende alcançar. Seria um modelo voltado para empresas, conhecido como B2B ou uma loja virtual voltada para o consumidor final, no formato B2C. Esse questionamento se faz necessário, já que são estratégias bem distintas.

Definidas as linhas mestre do projeto e identificados seus futuros concorrentes, outra boa providência é a elaboração de uma análise SWOT identificando seus pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças as quais sua futura loja virtual estará exposta.

Soluções tecnológicas para o projeto

A segunda etapa é crítica, pois trata-se da escolha da plataforma de e-commerce a ser adotada.  Seja qual for o modelo, SAAS, Open Source ou Exclusiva, ela deve atender não somente às demandas iniciais da loja como também possuir escalabilidade para suprir as necessidades futuras em função do crescimento do negócio.

Atualmente no Brasil, temos diversas opções de plataformas de comércio eletrônico, com diversas propostas e recursos, o que torna essa escolha cada vez mais difícil e técnica. Por isso mesmo criamos uma planilha, que é distribuída em nosso curso de e-commerce, para orientar os empreendedores digitais nessa escolha. São tantos os fatores a serem levados em consideração, que se não sistematizar, não há como chegar a uma avaliação correta.

O importante é conseguir uma plataforma que seja tecnologicamente adequada ao seu momento de negócio e que ao mesmo tempo pode continuar sendo sua parceira, à medida que o negócio evolui.

Capacitação de pessoal

Como no mundo físico, a abertura de uma nova frente de negócios exige capacitação de pessoal, e no e-commerce não é diferente. Por isso mesmo, ao elaborar um projeto de comércio eletrônico, a questão da capacitação de colaboradores que estarão envolvidos no processo precisa ser levada em consideração. definitivamente, não há mais espaço para soluções amadorísticas no atual momento do e-commerce no Brasil. Ou você tem gente séria e capacitada na condução dos negócios, ou então será mais um caso de loja virtual que não deu certo, como tantas que vemos por ai.

Um gerente de e-commerce não está necessariamente fora dos quadros da empresa, muito pelo contrário, geralmente, o melhor gestor de um e-commerce é um colaborador que é capacitado através de treinamentos para o desempenhos desta função. Estar alinhado com a cultura da empresa ajuda bastante no processo de inserção da empresa no varejo eletrônico. Técnicas e ferramentas como marketing digital, otimização de sites, links patrocinados e web analytics são itens que devem fazer parte desse treinamento para que os gestor e seus colaboradores possam ter uma visão ampla de todos os processos que envolvem a criação de uma loja virtual de sucesso.

Planejamento do Marketing

O maior diferencial de uma loja virtual atualmente está justamente no marketing digital e por isso, um projeto de comércio eletrônico deve ter essa etapa muito bem planejada.Um dos segredos do marketing digital moderno está justamente na criação de uma sinergia entre as diversas ações e para isso é necessário um planejamento meticuloso das diversas ações.

No caso do marketing de busca, mais precisamente, o SEO – Search Engine Optimization, devemos ter a estratégia detalhada já na etapa de estruturação da loja, já que elementos importantes para o processo de otimização de uma loja virtual, como estrutura de departamentos e seções devem obedecer a estratégia para otimização de sites para mecanismos de busca.

Embora o SEO seja a ferramenta de marketing digital que apresenta um prazo de resposta mais longo, seus resultados são muito bons, pois criam um fluxo constante de acessos e apresenta as taxas de conversão mais elevadas do e-commerce.

Seria muita pretensão de nossa parte querer cobrir todos os aspectos de um projeto de e-commerce em apenas um artigo. O que queremos chamar atenção, principalmente para o novos empreendedores, é que a loja virtual em si, a plataforma, é apenas um dos componentes de um projeto de comércio eletrônico, e deve ser complementado por outras ações de igual importância.