Projeto de E-commerce

Como fazer um projeto de e-commerce

Como fazer um projeto de e-commerceA elaboração de um Projeto de E-commerce é o primeiro passo para o sucesso neste segmento, mas muitas vezes é completamente ignorado pelos novos empreendedores.

Alguns empreendedores acreditam que o mais importante para posicionar sua empresa no varejo eletrônico seja simplesmente criar uma loja virtual, inserir produtos e pronto.

É claro que um projeto de e-commerce passa por esta etapas, mas o fato é que ele não se resume a isso.

Existem inúmeros fatores que precisam ser levados em consideração até mesmo para determinar qual a plataforma de e-commerce escolher, além de questões referente a capacitação de pessoas, marketing, logística e atendimento.

Como no mundo físico, os negócios online também exigem um planejamento detalhado de cada etapa e detalhamento de processos.Pensar em abrir uma loja virtual sem cumprir esse ritual é meio caminho andado para o fracasso do projeto.

O que é um projeto de e-commerce

Chamamos de Projeto de E-commerce o estudo dos fatores conjunturais que cercam o negócio e planejamento de todas as etapas necessárias para a implementação e operacionalização das atividades de uma loja virtual ou outro modelo de negócio no e-commerce.

No projeto de e-commerce são analisados os diversos aspectos que envolvem a criação e operacionalização de uma loja virtual como:

  • Análise do cenário negocial;
  • Escolha escolha da plataforma de comércio eletrônico que será adotada;
  • Escolha de formas e sistemas de pagamento;
  • Planejamento estratégico de marketing digital;
  • Logística de entrega e logística reversa;
  • Capacitação e treinamento de pessoal.

O projeto de e-commerce dará origem ao plano de negócios e os dois irão nortear todas as ações necessárias a implementação do negócio.

O passo a passo de um projeto de e-commerce

Para facilitar o trabalho, vamos analisar as diversas etapas da elaboração de um projeto de e-commerce e ter uma ideias do que está envolvido em cada uma delas.

Análise das variáveis de mercado

Antes mesmo de pensar em qualquer questão relativa a tecnologia e outros aspectos operacionais da sua loja virtual você precisará verificar se o seu modelo de negócio é viável dentro do panorama atual co comércio eletrônico. Não estamos falando aqui em saturação do mercado, mas sim do modelo que você pretende implementar.

O modelo de cópia vem deixando alguns setores em uma verdadeira situação de Oceano Vermelho, onde um grande número de empresas se engalfinhando por uma parcela de mercado, sacrificando margens e elevando seus custos operacionais. O resultado é previsível, muitas lojas virtuais fechando e as sobreviventes, operando com muita dificuldade.

Como evitar isso? Simples, inove e adote uma verdadeira estratégia do Oceano Azul, criando um modelo diferenciado que não tenha que ficar refém de descontos, frete grátis ou links patrocinados para sobreviver.

Escolha da plataforma de e-commerce

Essa é uma das etapas de um projeto de e-commerce onde os novos empreendedores se sentem realmente perdidos, pois as opções são muitas e os preços são muito distintos. Não é por outro motivo que um dos mais extensos módulos do nosso curso de e-commerce é dedicado justamente a este tópico.

A escolha da plataforma de e-commerce é uma etapa crucial do seu projeto, pois é ela que irá criar sua loja virtual como também será responsável pelo gerenciamento de diversas questões operacionais, como controle de pagamentos, estoque, entregas e funções avançadas de marketing digital.

As opções são muitas. Você pode optar por utilizar uma plataforma de e-commerce alugada ou então partir para uma solução em plataformas de e-commerce open source. Dependendo do caso, até mesmo a adoção de uma plataforma exclusiva seja a melhor opção. O que vai determinar isso é, em primeiro lugar suas necessidades específicas e, obviamente o orçamento disponível.

O fundamental neste quesito é encontrar uma plataforma de e-commerce, que do ponto de vista tecnológico possa satisfazer todas as necessidades do seu projeto, como recursos de marketing digital, controle dos processos administrativos e expansões futuras.

Para ajudá-lo nessa etapa do seu projeto de e-commerce, temos o catálogo de fornecedores de plataformas de e-commerce de nosso site, onde você encontrará dezenas de opções de sistemas para sua loja virtual.

Planejamento do marketing digital da loja

Um dos grandes diferenciais no e-commerce hoje em dia está justamente no marketing digital e é claro que o seu projeto de e-commerce não pode deixar esta etapa de lado. Sem um planejamento prévio nesta área, você terá dificuldades até na hora de escolher a plataforma de e-commerce mais indicada para o seu tipo de negócio.

Algumas ferramentas essenciais para o marketing digital de um e-commerce, como SEO, remarketing e web análise, precisam de suporte técnico da plataforma, portanto, se você não sabe exatamente do que vai precisar, corre o risco de contratar a plataforma e depois descobrir que ela não satisfaz às suas necessidades.

Além dessa questão técnica, temos também o lado financeiro, já que quando planejamos detalhadamente todo o processo de divulgação de uma loja virtual, ganhamos em termos de eficiência nas campanhas, poupamos muito tempo e, o melhor de tudo, economizamos muito dinheiro.

Se você partir para a contratação de uma agências digitais especializadas em e-commerce, talvez ela apresente um planejamento de marketing para o seu projeto (pelo menos deveria), mas de qualquer forma você precisa ter uma noção do que irá precisar.

Uma estratégia de marketing digital bem estruturada deve contar, no mínimo com três itens:

  • Uma boa estratégia para SEO – Otimização de sites para ferramentas de busca, que deve ser implementada o mais rápido possível, pois seus resultados precisam de tempo para aparecer.
  • Um planejamento inicial em termos de links patrocinados, pelo menos para o período em que o SEO levar para começar a surtir efeito.
  • Um plano de marketing em mídias sociais, já que este é um canal essencial para o e-commerce moderno, e dependendo do segmento, até mais importante do que o marketing de busca.
  • Uma boa estratégia para e-mail marketing, que ao contrário do que muita gente imagina, ainda é uma ótima ferramenta de vendas, principalmente em se tratando de e-commerce.

Como você pode ver nesse esboço de projeto de e-commerce, não é pouca coisa e muitas dessas funções irão depender diretamente de recursos da plataforma de e-commerce.

Além dessas questões técnicas é necessário que seu projeto de comércio eletrônico contenha uma previsão realista de gastos, para que todo o esforço não seja comprometido futuramente por uma asfixia financeira não identificada na fase de planejamento.

A melhor opção mesmo é fazer um plano de marketing digital para o seu projeto. No caso de executá-lo na sua própria empresa, esta é o primeiro passo e no caso de terceirizar este serviço, você já terá uma pauta inicial para discussão com as agências.

Capacitação de pessoal

Além da questão do gerenciamento do e-commerce em si, que deve ser feito por um profissional qualificado e com profundo conhecimento do funcionamento do mercado, algumas das ações de marketing digital podem e devem ser executadas na própria empresa. Por isso, a capacitação de pessoal não pode ficar de fora de um projeto de comércio eletrônico sério.

O desenvolvimento de talentos dentro da própria empresa é mais barato e conta com uma vantagem que nenhuma agência de marketing digital pode oferecer, o conhecimento sobra a cultura da empresa. O ideal é contar com colaboradores com um boa formação em marketing digital, principalmente em áreas críticas para o e-commerce como marketing de busca (SEO e Links Patrocinados) e também web analytics.

Mesmo que você pretenda terceirizar alguns serviços na área do marketing digital, é preciso conhecer, pelo menos, como funciona este ambiente de uma maneira geral, para poder saber o que contratar e como cobrar os resultados.

O planejamento é essencial

Não pretendo neste único artigo cobrir todos os pontos que envolvem as questões relacionadas a um projeto de e-commerce, pois isso seria muita pretensão da minha parte. A matéria é extensa e teríamos ainda questões como escolha de meios de pagamento, logística além de legislação e tributação no e-commerce.

A ideia que pretendo passar é que a criação da loja virtual em si não é a única etapa de um projeto de e-commerce profissional. Não são raros os casos de boas ideias de negócios que não foram adiante justamente por terem como foco do planejamento a plataforma de e-commerce de forma isolada. É necessário amarrar todas as variáveis envolvidas para que possamos criar uma estrutura sólida e duradoura.

Na hora de montar sua loja virtual, segure um pouco o ímpeto operacional e dedique o máximo de tempo possível à etapa de elaboração do seu projeto de e-commerce. Você verá que o resultado vale a pena.

Fonte: Guia de E-commerce

O que é Magento

O que é Magento – Conheça a plataforma de e-commerce Magento

O que é MagentoSe você ainda não sabe o que é Magento e está pensando em criar uma loja virtual, para tudo que está fazendo e leia este artigo.

Em termos de plataforma de e-commerce, pode-se afirmar sem medo de exageros que o sistema Magento é uma das mais soluções mais completas do mercado.

É claro que existem outros sistemas de e-commerce bastante sofisticados e completos no mercado, mas pensar em montar um e-commerce sem saber exatamente o que é Magento e o que o sistema oferece é cometer um grande erro.

Um pouco da história da Magento

Para quem deseja saber o que é Magento, vamos começar pela história do projeto. O projeto Magento nasceu por iniciativa da Varien em 2007, no rastro de outras iniciativas de desenvolvimento de sistemas de e-commerce no formato open source como a osCommerce e a Prestashop, pioneiras neste segmento.

Em 2008 a empresa lançou a primeira versão aberta do sistema que ficou conhecida como Magento Community Edition – CE.

De lá para cá a plataforma Magento vem se firmando como um padrão  da indústria e em função de seus recursos tecnológicos e soluções avançadas para e-commerce, conta hoje com usuários do porte da Samsung, Nokia, GoodYear, Nike, Olympus, Ford e outras grandes marcas.

Em fevereiro de 2011, o grupo eBay adquiriu parte das ações da Magento e concluiu a compra da empresa em junho do mesmo ano, passando a ser o controlador majoritário da empresa.

Em abril de 2014 a empresa aheadWorks especializada no desenvolvimento de extensões para a plataforma, divulgou a sua pesquisa anual sobre plataformas de e-commerce e constatou que pelo terceiro ano consecutivo a Magento se destaca como sistema de e-commerce open source mais usado no mundo, com uma participação de 33,8% no universo analisado.

participacao-magento

No Brasil a plataforma vem conquistando cada vez mais adeptos em função da sua versatilidade e quantidade de recursos, o que fez com que vários fornecedores de plataforma Magento surgissem no país.

Definindo o que é Magento e quais os recursos que oferece

O Magento é a plataforma de e-commerce open source, desenvolvida na linguagem PHP e distribuída livremente no site da empresa e na comunidade de desenvolvedores que trabalha no sentido de aprimorar e acrescentar novos recursos ao sistema.

Por se tratar de uma plataforma de e-commerce open source, qualquer pessoa que possua sólidos conhecimentos de programação (o código é bem sofisticado) pode promover alterações e desenvolver novas funções para o sistema. Dessa forma, não existe limites para a customização da plataforma, o que contribuiu em muito para sua aceitação pelo mercado.

Características da arquitetura da plataforma Magento

Uma das principais características da plataforma Magento é sua arquitetura modular, ou seja o sistema como um todo é composto por diversos módulos independentes que reunidos fazem compõem o sistema. Para quem ainda não sabe o que é Magento e qual a diferença que isso faz em termos técnicos, posso garantir que esse é um dos pontos chave para o sucesso da plataforma.

Os módulos são conhecidos como Extensões Magento, ou plugins para Magento e são um dos pontos fortes da plataforma. através deles podemos incorporar novas funções à loja e com isso torná-la mais interessante para que a visita e também mais funcional para quem administra.

As Extensões Magento podem ser gratuitas ou pagas. No primeiro caso, você encontrará diversas delas no Magento Connect, o diretório oficial de plugins Magento. Lá também você encontrará algumas extensões pagas, desenvolvidas por empresas e programadores independentes.

Outro destaque na plataforma Magento fica por conta das templates, módulos que alteram o design da loja e permitem uma customização muito grande. Em sites especializados como o Theme Forest você encontra centenas de templates que podem ser adquiridas e instaladas na sua loja, dando um toque exclusivo ao seu projeto.

A robustez da plataforma também traz alguns problemas, porque ela se torna extremamente exigente em termos de desempenho do provedor de hospedagem. Como a plataforma trabalha com muitas requisições ao banco de dados, é preciso escolher um bom provedor de hospedagem para Magento, caso contrário a loja poderá ficar lenta e até mesmo chegar a sair do ar.

Diante de tudo isso, podemos garantir que o Magento , é sem dúvida alguma uma das melhores plataformas de comércio eletrônico do mercado, tanto que no curso de e-commerce que ministramos sempre damos um destaque especial a essa plataforma.

Agora que você já sabe o que é Magento e conhece o poder dessa plataforma, pense na possibilidade de adotar essa solução no planejamento do seu e-commerce.

Fonte: Guia de E-commerce